+ DE 20 obras

quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

Governadores não devem se opor ao destino dos royalties para a Educação

Braga disse que postura contrária traria problemas
políticos para governadore
s
Dificilmente os governadores se colocarão publicamente contrários ao repasse para a educação dos royalties provenientes dos recursos dos contratos futuros na exploração de petróleo. A avaliação é do líder do governo no Senado, Eduardo Braga (PMDB-AM).

Ele considera mais provável uma forte pressão dos governadores para que o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), inclua os vetos feitos pela presidenta Dilma Rousseff ao projeto de lei aprovado pelo Congresso.

"Não creio que o maior problema esteja nos recursos para a educação. O próprio governador [do Ceará] Cid Gomes defendeu a vinculação dos royalties [para a educação]. Acho que eles não vão colocar a cara para bater" – disse o líder à Agência Brasil. Alguns governadores reuniram-se nesta terça-feira 4\12, em Brasília, para avaliar a estratégia que adotarão nos debates sobre o tema com os congressistas.

Segundo Eduardo Braga, este é um tema “muito sensível” para a opinião pública e uma postura contrária a mais recursos ao setor traria problemas políticos aos chefes dos executivos estaduais.

Ele frisou que, neste momento, o maior desafio das lideranças partidárias será administrar a pressão dos governadores para que Sarney coloque os vetos ao projeto de lei em votação. Na noite da última segunda-feira, foi publicada, no Diário Oficial da União (DOU), a medida provisória que regulamenta os percentuais dos recursos dos royalties de petróleo dos contratos futuros, que serão vinculados a investimentos dos Estados em educação.
(Correio do Brasil)

Nenhum comentário:

Postar um comentário