Respeita as Mina

Respeita as Mina

segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

Poder Legislativo de Cairu inaugura hoje a "Casa de Câmara e Cadeia"

O presidente da Câmara Municipal de Cairu, Luiz Alberto Marques Gomes (Igor), inaugura nesta segunda-feira, 29 de dezembro, o novo prédio da antiga “Casa de Câmara e Cadeia”, na Sede do Município, às 17 horas. 

Este ato, de grande relevância, resgata mais de 400 anos de história com a edificação de um dos mais importantes monumentos da região. 

A nova “Casa de Câmara e Cadeia” passa a abrigar as atividades da Câmara Municipal de Cairu, sendo também um equipamento de cunho cultural, com auditório, espaço para exposições, eventos, salão nobre, além das salas para todas as funções administrativas e políticas do novo parlamento. 

PRÉDIO SUSTENTÁVEL
O coração do prédio é, por certo, a sala de sessões (galeria e plenário), que pode ser utilizada por mais de 130 pessoas e receber projeções de cinema, apresentações musicais, aulas, cursos e treinamentos. O edifício, denominado “Presidente Mário Passos Meirelles”, tem mais de mil metros quadrados de área construída, com cinco níveis de pavimentos (subpalco, subsolo, térreo, primeiro pavimento e sótão). Há total acessibilidade, como manda a legislação, incluindo previsão para elevador e sanitários especiais, boa ventilação, iluminação ideal e ambiência condizente. O prédio possui sala de comissões, gabinetes para cada vereador, depósitos, arquivo inativo, copa, despensa, cozinha, recinto para a imprensa e reuniões nas rotinas diárias de funcionamento. 

Serão também incorporados controles operacionais de áudio, vídeo e instalações prediais inteligentes (racionalização de consumos de água, energia, internet e condicionamento de ar), ampla e confortável recepção, rampas, palco, assentos no auditório, o plenário que leva o nome do saudoso “Gilson Mucugê” e a galeria que presta justa homenagem ao Presidente e Prefeito Manoel Altivo da Luz. 

Com projetos aprovados pelo IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional), em maio de 2012, depois de muitas tratativas temáticas e conceituais, a obra exigiu a união de esforços de universidades, empresas, organizações sociais e do governo. Ela é muito especial e teve estudos realizados em muitas disciplinas (arquitetura, acústica, estruturas em concreto e aço, iluminação, sonorização, geologia, geotecnia, arqueologia, segurança, pesquisa histórica e várias instalações prediais, incluindo condicionamento de ar, a prevenção e o combate a incêndios).Tudo no sentido de equilibrar o antigo e o moderno sem incorrer no pecado que seria o que se chama de “falso histórico” (o simples “decalque” do edifício antigo). Algo que seria considerado lamentável pelos peritos do planejamento e pelas autoridades, que gerem a cultura e defendem o patrimônio histórico no nível federal e em foros multilaterais, como a UNESCO. 

A nova "Casa de Câmara e Cadeia" de Cairu está vocacionada a ser exemplo de sustentabilidade para o mundo, como preconizou o próprio BID – Banco Interamericano de Desenvolvimento, ainda no ano de 2006, e o famoso urbanista Jaime Lerner (ex-prefeito de Curitiba), em 2013. 

Os dividendos desse processo de criação do novo Parlamento de Cairu são inúmeros. Gerou dezenas de empregos, por 4 anos, para a mão de obra local e serviu de estímulo para a formação e profissionalização de muitos jovens cairuenses no “Centro de Formação Construir Melhor”. Permitiu, no aspecto econômico, a adesão, por força de lei, ao “PDCIS – Programa de Desenvolvimento e Crescimento Integrado com Sustentabilidade” (Lei n.431/2013) reconhecendo o conceito de agroecoturismo, como alavanca estruturante. Permitiu, também, a articulação de forças que viabilizarão, no curto prazo, a composição de um vigoroso PDDU – Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano -, repercutindo na valorização das terras do arquipélago, o fortalecimento da recém-criada ACEC – Associação Comercial e Empresarial de Cairu e várias parcerias público-privadas, que surgirão em breve. 

Foram também mobilizados para o planejamento e execução da obra, dezenas de arquitetos, engenheiros e outros profissionais contratados pela Câmara Municipal de Cairu ou pela FEP – Fundação Escola Politécnica da Bahia, da UFBA. 

Um outro salto de desenvolvimento institucional que esse investimento público vai promover, como resultado concreto no aspecto da pesquisa histórica, serão os milhares de documentos digitalizados, vindos de Portugal, que a Biblioteca Municipal irá receber. Eles podem, apenas por si, sustentar décadas de trabalhos de levantamentos e prospecções sobre diversos aspectos da saga da colonização e da sociedade mestiça que os portugueses, índios e africanos forjaram nos trópicos. 
(Railton Ramos - com notas de Manoel Altivo)

Um comentário:

  1. Parabéns aos nossos jovens, e futuras gerações, pois poderão desenvolver os seus conhecimentos dos principais fatos históricos na formação do nosso município. e então teremos com mais facilidades, as condições do desenvolvimento cultural, como porta importante na vida futura da nossa gente. e promovendo os meios para as informações aos visitantes.

    ResponderExcluir