Respeita as Mina

Respeita as Mina

domingo, 22 de setembro de 2013

Palavras de Irene: CHARLATANISMO e ILUSÃO...

Sabe aquele dia em que você vê algo que não é do seu interesse, mas que até acha legal, e nesse mesmo dia você vê algo (in)crível, mas que dezenas de pessoas tomam como verdade absoluta? Pois é, estava eu na Praça a observar os acontecimentos que, por sinal, estavam muito bons, quando – de repente – ele chegou com a sua comitiva, o príncipe da fé aterrissou na minha cidade para fazer seu espetáculo de credulidade. E a praça que já se encontrava repleta, inchou ainda mais pela população carente e sedenta de um milagre vivo, daqueles que Jesus fazia de maneira muito discreta. Naquele momento estavam ali pessoas de todas as classes cores e formas, Ciganos, classe média, pessoas rotas, bem arrumadas, desnutridas e bem alimentadas, idosos e portadores de necessidades especiais como cadeirantes, usuários de aparelhos para sustentar a coluna e deficientes visuais.

O show começou e a população da Praça não parava de crescer, veio gente das mais remotas periferias e com todos os tipos de dificuldades para ver o príncipe da fé e suas calorosas manifestações de amor. Sua comitiva apresentava um show musical de boa qualidade e vozes bastante afinadas. E eu? Que tédio, muita louvação para comercializar a fé, enquanto eu, estava ali, me descabelando como pessoa, mas firme, fazendo meu trabalho profissional. Olhando para aquelas caras ingênuas? Simplórias? Crédulas? Ou mentes trabalhadas na limpeza intelectual com detergente de qualidade superior?

O tempo foi passando, a praça foi ficando sem espaço e o príncipe começa o seu show por um versículo qualquer da Bíblia, seguiu convocando o povo a orar e logo depois os induziu a fazer uma oração petitória com imposição da mão direita sobre a coroa da cabeça dizendo algo como “Deus retira de mim todo mal”. Após essa operação, eis que surge em cima do palco do príncipe da fé, o show da demonstração dos milagres, pessoas suspostamente curadas de males que sofriam há tempos expondo suas curas milagrosas ao povo. Assim, um homem manco largou as muletas e continuou a andar mancando; uma jovem que se declarava com problemas nos joelhos que a impossibilitava de andar, naquele momento e por ordem do Bispo, saltitava como uma gazela e corria como a Maurren Maggi antes de pular os obstáculos nas competições. 

Continuando a série de milagres, surgiu uma terceira pessoa que se queixava de dores na coluna que a impedia de se agachar. E, de repente, estava ela fazendo agachamento de ginástica como se estivesse numa academia exercitando os glúteos. Após provar que é capaz de curar e tornar as pessoas enfermas completamente saudáveis, o bispo passou a segunda parte do show, o pedido de dinheiro. Então solicitou solenemente dos espectadores e iludidos ali presentes uma pequena contribuição de R$100,00 para ser sócio de sua rede de televisão, claro que essa contribuição deverá ser mensal, e os desavisados que aderirem à sociedade devem lembrar sempre desse compromisso. Ele também determinou quais os canais de televisão os fiéis deveriam assistir, e o primeiro programa a ser vetado foram as novelas, depois, os telejornais. Só sendo liberado para os assinantes a TV RIT, os canais infantis e todos os programas de sua religião. Porque o valor estipulado por ele aos fiéis é para assinatura de uma tv a cabo religiosa.

Mais uma vez, eu pensei, “eu mereço estar aqui em meio a esse espetáculo de limpeza das ideias dos cérebros pensantes”. Imagina você está presenciando algo que não acha a menor graça e que tem certeza que é puro charlatanismo por força de trabalho. Pois é, mas eu sou valente, aguentei até o final. Antes de acabar é claro que dei uma voltinha no ambiente para averiguar os milagres e pasmem, descobri que os cadeirantes, os cegos, os que usavam aparelho na coluna e aqueles de braços ou pés tortos não foram agraciados pelo milagre do Bispo, ou de Deus? Parece que Deus só gostou daqueles quatro que se apresentaram no palco fazendo firulas. 

Para além dos milagres e dos cantos muita oração foi dispensada ao fiéis, sendo que na última, o Bispo pediu que todos ali fechassem os olhos para orar, e eles fecharam. Se eu fechei? Claro que não, precisava observar o movimento. Bem o certo é que quando a oração foi finalizada e o povo abriu os olhos. Cadê o Bispo? Sumiu!!! Desapareceu da praça como álcool na cânfora, pegou o seu jatinho e foi embora para São Paulo, porque às 5:00h da manhã ele tinha outro show da fé para fazer, outros “inocentes” para manipular. No dia seguinte eu que sou muito curiosa comecei a indagar das pessoas do Morro de São Paulo onde o Bispo havia se apresentado na sexta-feira com o seu show da fé, e acredite se puder, os milagres do Morro foram exatamente os mesmos que aconteceram aqui. Cara, se me avisassem e pagassem um bom cachê, eu bem que ajudava a encontrar doentes curados para o programa.

Um comentário:

  1. a pior posição de uma critica, é a de externar sua posição pessoal, vislumbrando uma suposta situação desejada, parabéns Senhora sua posição superou ate as mais complexas contradição sobre o assunto.

    ResponderExcluir