+ DE 20 obras

terça-feira, 29 de janeiro de 2013

Base do governador Wagner diverge sobre a inclusão de Otto Alencar na chapa

(Fernando Duarte)
Otto, Wagner, Kassab e Pelegrino juntos em 2014
O indicativo de que um acordo entre o presidente nacional do PSD, Gilberto Kassab, e o governador Jaques Wagner para que o atual vice-governador Otto Alencar permaneça na chapa majoritária da base aliada em 2014 foi recebido de maneira distinta por dois postulantes a ocupar espaços na próxima eleição.

De um lado, o deputado federal Mário Negromonte (PP) minimizando qualquer acerto com relação à chapa de 2014. Do outro, o deputado estadual Marcelo Nilo (PDT) parabenizando o governador por indicar Otto para a composição da majoritária.

Eles também lutam para participar da chapa, que conta apenas com os cargos de governador, vice e senador para uma grande quantidade de partidos que compõem a base.

“Nós estamos em 2013, é muito cedo ainda. Tem que olhar a base aliada e é natural que os partidos manifestem o desejo de participar da chapa majoritária. Mas não existe nenhum acordo ainda”, sugeriu Negromonte, que chegou a ser apontado como virtual nome à vaga de senador no próximo pleito, mesma posição apontada como preferida pelo vice-governador.

Para o progressista, existem diversos nomes com condições de serem indicados para compor a chapa em 2014, como o próprio Otto, a senadora Lídice da Mata (PSB), o deputado Marcelo Nilo e os petistas Walter Pinheiro, Rui Costa e José Sérgio Gabrielli. “Não tem nada fechado. Nossa meta em 2013 é ajudar o governador Wagner e a presidente Dilma [Rousseff] a concluírem bem os seus mandatos”, assegurou Negromonte.

“Nosso partido deseja espaço na chapa majoritária, assim como os outros, mas não depende apenas do desejo do partido. Tem o desejo da sociedade e também a coordenação do governador”, defendeu o progressista.

Sobre nomes, Negromonte foi evasivo. “Essa questão de nomes vamos discutir mais na frente, pode ser o meu ou o do deputado João Leão, assim como pode ser para governador, para vice ou para senador. Nosso partido teve uma boa densidade eleitoral em 2014 e tem sido o fiel da balança no estado”, lembrou o parlamentar.

Mais diplomático, Marcelo Nilo reagiu bem à eventual manutenção do vice-governador na chapa majoritária. Na opinião do pedetista, Otto reúne qualidades importantes para ser indicado por Wagner para disputar a eleição. “Otto participando da majoritária é um excelente nome para a composição. O coordenador é o governador Wagner. Se ele indicou, está certo. Agora eu sou candidato a governador”, analisou Nilo, sem perder a oportunidade de reiterar seu desejo de suceder Wagner no Palácio de Ondina.
(Tribuna da Bahia)

Nenhum comentário:

Postar um comentário