Respeita as Mina

Respeita as Mina

quarta-feira, 23 de outubro de 2013

PALAVRAS de IRENE: Menos Papo, Mais Ação. UFRB de Verdade!

A campanha UFRB já! Voltou a ser discutida em Valença. Também pudera, 2014 é ano de campanha política, com eleição para governadores, senadores, deputados e presidente, além da Copa do Mundo é claro. O povo precisa acreditar que vai ter algo de volta em troca do seu voto, ou se pautar na esperança em alguma coisa para eleger alguém. Nesse caso, a esperança de ter perto de si uma universidade com cursos diferenciados dos existentes, e com a possibilidade de estudar sem pagar, já é motivo para os jovens garantir eleição de um candidato. Afinal, tem algo mais importante para alguém que quer dar continuidade ao seus estudos que uma Universidade Federal? Lógico que não. Ela é o sonho de todo aspirante ao curso superior. Todavia, os políticos em busca de suas conquistas utilizam-se dos desejos dos jovens para se garantirem no poder, prometendo coisas que não realizarão. O Baixo Sul precisa dessa instituição, mas, mesmo estando no projeto original ainda não se implantou a UFRB na região.

Você pode observar que não há o interesse real em trazer a UFRB para o Baixo Sul pela falta de comparecimento político na audiência pública realizada no Centro de Cultura. Pense comigo, se a UFRB é um projeto que engloba todo o Baixo Sul, porque apenas Jucélia Nascimento compareceu à reunião? Só ela tem interesse? É o que parece. Porque numa reunião tão importante como essa só um prefeito compareceu. Nem aquele prefeito que é presidente da AMUBS, e que deveria estar presente se deu ao trabalho de comparecer? Ele era presença obrigatória. E vocês, estudantes do Baixo Sul, o que acham dessa manifestação de descaso para com sua formação? Se você votou nesses camaradas já estão recebendo o retorno do descaso. Se esses mesmos prefeitos estão te indicando candidatos para deputados corram deles, a menos que você não queira evolução política e social na sua região. Pense bem, se o seu prefeito que está próximo a você não pode te apoiar, o deputado dele vai poder menos ainda.

Falando em deputados, outra ausência bem notável. Cadê os deputados que levaram a maioria dos votos de Valença, porque não compareceram à Audiência Pública? Por que não estiveram aqui para mostrarem o seu interesse para com a população, que doou a maioria dos votos para eles? E suas obrigações para com o município? O povo aqui só serve para votar? Ou o deputado só serve para garantir emprego às famílias dos seus cabos eleitorais? Essa realidade tem que ser mudada e essa mudança começa em você! A partir da sua escolha se estabelece a qualidade do legislador e do governante. Então, presta atenção, votar é bem mais sério do que você possa imaginar.

Mas não foram só os deputados e prefeitos que faltaram à Audiência Pública, alguns vereadores também. Eu que estava lá bastante atenta, percebi a ausência de pelo menos, três deles: Lelo, Barreto e Bertolino. Com certeza, eles tinham coisas mais importantes para fazer. Dos outros municípios? Não lembro de ter visto algum, também não os conheço, quem tinha que estar aqui apoiando a prefeita eram os da cidade, afinal ela está tentando trazer algo de bom para a cidade e a região. Das pessoas de importância muito relevante no município também não me recordo de ter visto alguém, me refiro aqueles órgãos que tem força até certo ponto política mesmo não sendo político por classificação. Isso tudo conta num processo de busca pela implantação de uma instituição de ensino tão importante como a UFRB. Todavia em Valença, essas pessoas se importam mesmo é em ganhar dinheiro.

Na moral, todo mundo quer progresso para a cidade e região, mas na hora de buscar poucos se comprometem. Outro fator que muito me incomodou foi a atuação dos estudantes na audiência pública. A diferença comportamental foi bem discrepante, enquanto os alunos das instituições federais se manifestavam e demostravam estar ali prestando muita atenção a tudo, os estudantes das escolas estaduais permaneciam apáticos nos seus assentos, não expressando sentimentos com relação ao que estava acontecendo. E eu fico aqui pensando, porque a diferença tão gritante no discurso? É para esses estudantes que as universidades tem um valor especial, lá dentro eles aprenderão a se articular, a falar, a buscar novos fazeres para suas realidades, aprenderão a reconhecer a importância que têm no mundo social e político. 

Mas, voltando a audiência pública pró-UFRB, como realidade para a região, é bom que fique claro para a população que os “buscadores”, na atualidade, da instituição federal de ensino foram os vereadores Adailton e Fabrício Lemos e a prefeita Jucélia Nascimento, que corajosamente está correndo atrás da realização do desejo da população. Também não se pode esquecer de Martiniano Costa, que sempre está apoiando a ideia. Apesar de haver um desejo de implantação da UFRB na região, depois de dez anos de promessas e do contingenciamento[1] das verbas públicas na Bahia, não dá para acreditar em conversas jogadas ao vento, eu e a torcida do Flamengo queremos mesmo é a UFRB no Baixo Sul. As fases de debates já não são necessárias. O melhor encaminhamento mesmo é a pesquisa de preferência de curso com os estudantes da região, formar comissão para os assuntos da construção, criar, se ainda não houver, um projeto arquitetônico e construir o campus do Baixo Sul. Eu disse construir mesmo porque a UPA está aí há anos inacabada e o povo a esperar. Então pessoas, UFRB já! Com data de início e término da construção. 
_______________________________
[1] Contenção de despesas os gastos públicos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário