Respeita as Mina

Respeita as Mina

quinta-feira, 1 de agosto de 2013

VALENÇA: Estudantes do João Cardoso realizam simpósio do Meio Ambiente

Os estudantes do Colégio Estadual João Cardoso, localizado no bairro da Urbis, realizou na sexta-feira, 26, o I Simpósio do Meio Ambiente.

O evento, organizado pelos discentes do curso técnico em Meio Ambiente, contou com o apoio maciço da direção da escola, bem como dos docentes, demais alunos, inclusive do anexo do Guaibim, e da comunidade em geral.

Tendo como objetivos contribuir para a Educação Ambiental de forma consciente, não só no ambiente escolar, mas indo além dos muros, dialogando com a comunidade e buscar soluções para os problemas atuais do município e região, o simpósio foi aberto pela manhã com a participação especial do poeta Otávio Mota, que recitou poesias de sua autoria, provocando as primeiras reflexões sobre o Rio Una e sobre a Andada dos Caranguejos.

Em seguida, a primeira mesa de debate formada por Cássia Beatriz, representando a SUPROF (Superintendência da Educação Profissional da Bahia) e Tássio Menezes de Lima, professor do IFBaiano, discutiu sobre o curso técnico do Meio Ambiente e sua importância para o desenvolvimento sustentável local e regional.

Pela tarde, a Secretária Municipal de Meio Ambiente, Cláudia Santos e o vice-presidente do CODEMA, Flávio Restini, debateram sobre a legislação ambiental, com ênfase na recomposição da mata atlântica do Baixo Sul e a política de resíduos sólidos.

O debate continuou à noite, com a presença do vereador Adailton Francisco, que proferiu uma palestra cujo tema foi “Sustentabilidade Ambiental: Utopia ou realidade possível?”. Alunos também apresentaram suas pesquisas durante todo o dia, nos intervalos das palestras e debates, bem como nos stands montados em salas de aula, demonstrando uma qualidade e dedicação impressionantes.

Num dos trabalhos apresentados, por uma turma que pesquisou a paradisíaca ilha do Morro de São Paulo, chamou a atenção o enfoque dado pelos mesmos, não aos aspectos turísticos explorados e sim, pelo contato mais direto com moradores antigos e áreas preservadas. Os estudantes demonstraram preocupação com o lixão existente na ilha e a degradação de espaços, como a Ilha da Saudade e o Alto do Zimbo. A visita foi tão produtiva, que os mesmos estão montando um documentário a ser exibido nas escolas e em festivais de cinema.

Nenhum comentário:

Postar um comentário