Respeita as Mina

Respeita as Mina

segunda-feira, 25 de agosto de 2014

Quatro bons documentários na tela do Centro de Cultura de Valença, nesta terça-feira....

São quatro documentários baianos de curta metragem, que ganharam destaque no IV Festival de Documentários de Cachoeira, o CachoeiraDoc. Seguem, abaixo, as sinopses dos filmes que serão exibidos na tela do Centro de Cultura Olívia Barradas (CCOB), nesta terça-feira 26, às 15h e 19h.

Diálogos com o sagrado (Bahia, 2012, 40 min.)
De Angela Figueiredo e Fabrício Jabar
Documentário sobre as Rezadeiras, aborda a história de mulheres que utilizam folhas e rezas para a cura de alguns males popularmente conhecidos como: olhado, peito aberto, erisipela, espinhela caída, entre outras enfermidades. São doenças que na cultura popular só podem ser curadas através das rezas. Além das Rezadeiras o documentário apresenta diálogos com a medicina tradicional e igrejas evangélicas, que segundo elas, se tornaram grandes impasses para a continuidade dessa tradição. O maior objetivo deste documentário é prestar uma homenagem a estas mulheres que, acreditando possuir um dom divino passaram toda sua vida se dedicando a curar pessoas pobres. A história das rezadeiras se confunde com a história de milhares de pessoas pobres no Brasil que somente através da solidariedade e da fé conseguiram construir suas trajetórias vidas.

Flor do Barro (Bahia, 2013, 8 min.)
De Vonaldo Mota e Luciana Sacramento
Florisvaldo Robeiro Santos, o Flor, e sua família moldam com as mãos uma tradição herdada de seus antepassados. Influenciado por ícones pop e os super herois, Flor cria então sua estética própria e inova o artesanato de Cachoeira.

Para se contar uma história (Bahia, 2013, 28 min.)
De Diego Jesus, Elen Linth, Leandro Rodrigues, Lucicleide Santos (Neguinha)
Na comunidade quilombola Santiago do Iguape, Neguinha conta uma história de resistência.

Samba de Roda (Bahia, 2013, 7 min.)
De Diego Jesus, Elen Linth, Leandro Rodrigues, Lucicleide Cruz (Neguinha), Jefferson Parreira e Robson Moreira
Em Santiago do Iguape, a jovem Riane conta sobre o surgimento dos grupos de samba de roda na comunidade. Um relato sensível e afetuoso sobre uma das manifestações culturais mais importantes do Recôncavo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário