Respeita as Mina

Respeita as Mina

sexta-feira, 30 de maio de 2014

MAIS UM: Partido Verde declara apoio a Paulo Souto...

Alan Lacerda, prefeito de Licínio de Almeida e presidente do PV da Bahia
Com o tempo curto, os partidos que ainda não tinham definido seus apoios às chapas majoritárias começam a declarar suas posições. Nessa quinta-feira (29/5) foi o caso do PV. Após transitar entre as três chapas líderes das últimas pesquisas, o ex-governador da Bahia e pré-candidato oposicionista, Paulo Souto (DEM), foi o agraciado com o indicativo de apoio dos verdes.

O fato foi confirmado pelo presidente da legenda, Alan Lacerda (PV), que ainda garantiu a entrega de um documento compondo 43 propostas ao candidato do DEM.

O alinhamento segue a mesma posição da agremiação em Salvador, que, além de ter o vereador Marcel Moraes (PV) como integrante da base de apoio do prefeito ACM Neto (DEM), detém a indicação da Secretaria Cidade Sustentável, antes chefiada pelo pré-candidato a deputado Ivanilson Gomes e hoje capitaneada por André Fraga e assim não cortaria o vinculo já existente com os democratas.

Cortejado por todos os lados, o PV ensaiou unidade com a senadora Lídice da Mata (PSB), cuja cotação para ter a indicação da vice na majoritária foi um dos assuntos destacados pela mídia. O nome da vice-prefeita de Salvador, Célia Sacramento, chegou a ser cotado ao posto.

Também houve um ensaio de diálogo de retorno à base do PT, partido ao qual já esteve unido na eleição de 2006, ano que levou à derrota de Paulo Souto, e que, após imbróglios internos, rompeu. No pleito seguinte, o PV chegou a lançar candidatura ao Palácio de Ondina com Bassuma, em 2010, que obteve mais de 253 mil votos.

Proporcional ainda é assunto a ser tratado
O presidente estadual do partido, o prefeito de Licínio de Almeida, Alan Lacerda (PV), afirmou que o sentimento de que a sigla iria enveredar ao lado do democrata era perceptível mesmo antes da reunião. Para ele o encontro, com forma burocrática, serviu para registrar a escolha e oficializar a informação à Executiva nacional, seguindo assim determinações partidárias.

Além da majoritária, há expectativas dos membros do PV em torno da eleição proporcional. Para Lacerda, o assunto não chegou a ser discutido com profundidade, pois alguns tópicos faltam afinação.

“O foco agora é a majoritária. Claro que já houve conversa, mas não trabalhada, sobre as eleições para deputado estadual e federal. Tudo indica que os partidos menores estarão juntos em um só grupo e o PV deverá compor também. Uma segunda força alinhada a Souto”, disse.

Questionado se houve consenso em torno da decisão escolhida, Lacerda negou. O verde informou que há filiados que gostariam que a agremiação seguisse outros caminhos, fato impossibilitado pela falta de tempo de continuação do diálogo.

“Não tínhamos mais tempo. Chegamos ao final de maio com o pé em junho, mês das convenções partidárias. Tínhamos que analisar os fatos e tomar nossa postura. Com certeza não agradaríamos a todos”, afirmou.

Quem gostou da notícia e foi um dos articuladores foi o vereador Marcel Moares (PV). Pré-candidato a deputado, Moares havia deixado explícita a sua vontade de seguir a linha municipal também no Estado, acompanhando a chapa em que o prefeito ACM Neto (DEM) faz parte da articulação, tendo, além de Paulo Souto (DEM) na cabeça, Joaci Góes (PSDB) como vice e Geddel Vieira Lima (PMDB) como postulante a vaga ao Senado. “Eu fico feliz por meu partido apoiar Souto, que vai melhorar o meio ambiente do nosso Estado e faz políticas públicas no setor”, disse o vereador.

Nenhum comentário:

Postar um comentário