quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

Lançamento do LIVRO "Memória das Mulheres Operárias da CVI" será dia 7 de Março, no Centro de Cultura de Valença...

Como parte do projeto "Março Mulher", em comemoração ao Dia Internacional da Mulher, o professor Márcio Vieira fará o lançamento do seu livro Memória das Mulheres Operárias da CVI no próximo dia 07 de março, às 19 horas, no Centro de Cultura de Valença.

O livro, editado pela Paco Editorial, é referendado pelo Departamento de Educação da UNEB-Campus XV (Valença) e pelo Movimento de Mulheres da Vila Operária, além de ser fruto de uma pesquisa de Mestrado de Cultura Memória e Desenvolvimento Regional da UNEB-Campus V (Santo Antônio de Jesus).

Márcio é professor do Departamento de Educação da Uneb, Filósofo, professor Assistente de Filosofia nos Cursos de Direito e Pedagogia, lecionou na UNEB de Santo Antonio de Jesus, Caetité, Guanambi, Irecê, Coité, Ipiaú, Alagoinhas, Serrinha, Salvador e Brumado. Atualmente faz Doutorado em Filosofia na Universidade Católica de Santa Fé, Argentina. "A decisão de publicar este livro veio para homenagear as mulheres que lutaram e viveram como operárias na Companhia Valença Industrial, CVI uma das fábricas mais antigas do país ainda em plena atividade", disse Vieira.

O livro já está à venda nas livrarias e pela internet no site:

Poderá ser adquirido também no local do lançamento.

SINOPSE
O livro Memória das Mulheres Operárias da CVI reconta a história de mulheres operárias da Companhia Valença Industrial – CVI, uma das mais antigas fábricas de tecelagem do país ainda em funcionamento. Por meio da narrativa e da história oral, o autor discute o cotidiano dessas operárias, que viveram a sua inserção no mercado formal de trabalho nos anos 1960 a 1970.

Fruto de um trabalho de pesquisa do Programa de Mestrado em Memória, Cultura e Desenvolvimento Regional da Uneb, a obra traz à tona a dura rotina da fábrica, as greves, a importância da família proletária, as festas e religiosidades, manifestações e embates políticos da época e como estas mulheres se tornaram referência para uma geração de luta. Assim, os dados aprofundados que Márcio Vieira traz vão de encontro ao que se pode chamar de história tradicional, pois se trata de resgatar a história de pessoas comuns e a importância da vida destas mulheres está justamente na lição que podem dar às novas gerações sobre a busca por reconhecimento no espaço de trabalho e fora dele.

No próximo mês de maio Memória das Mulheres Operárias da CVI será lançado na UNEB de Itaberaba.

Um comentário:

  1. Uma homenagem muito bacana, digo porque, a minha mãe, hoje com 88 anos de idade, uma querreira, pois trabalhou 30 anos na CVI , dias e noites de dedicação, tanto ao trabalho como a casa e aos 08 filhos, mesmo com a saúde sempre debilitada, mas, dava conta dos compromissos. Ao autor, meus parabéns!!!!

    ResponderExcluir