Respeita as Mina

Respeita as Mina

domingo, 28 de julho de 2013

Palavras de Irene Dóres: FRANCISCO DOS POBRES

FRANCISCO chegou e o Brasil parou. Opa! O Brasil não, o Rio e Janeiro, mas os jovens do Brasil inteiro se dirigiram para o Rio, sem falar nos jovens europeus e americanos do norte e do sul. E os idosos também é claro. 

A chegada de Papa Francisco veio cheia de inovações. Vossa Santidade, assim como Francisco de Assis, dispensa luxos em qualquer lugar por onde passe, assim ao chegar ao Brasil, dispensou o carrão blindado para andar num 'Fiat Idea' com as janelas abertas para que pudesse estar em contato com o povo.

Eu realmente admiro Francisco pela sua simplicidade, isso sim é religioso que busca dar exemplo assim como fez Jesus. Contudo, Francisco não tem juízo, porque resolveu sair bem à vontade numa cidade violenta e perigosa como o Rio, isso é demonstração de muita fé. Por outro lado fica explicito que o governador do Rio de Janeiro através de sua secretaria de Segurança Pública não tem competência para receber alguém importante e que não queira andar de carro blindado. Transportaram o Pontífice por uma rua movimentada e submeteram ele a uma paralisação entre ônibus, carros e pessoas. Pessoas tudo bem, mas carros rodando normalmente num trajeto onde vai passando uma autoridade religiosa ou seja lá quem for que necessite um pouco mais de privacidade? Fala sério, isso não poderia acontecer. Francisco foi exposto ao perigo isso é fato. Depois o secretário vem à tv e coloca a culpa nos batedores, mas todo mundo sabe que estes com certeza receberam um itinerário pronto para cumprir. Conversa fiada matou carambola.

E o local do evento você já parou para pensar? Segundo informações da CBN a prefeitura teria gasto R$ 26 milhões para preparar o entorno da área onde peregrinos iriam passar a noite, durante a vigília. E se construiu para esse dia, um campo de terra batida na região de Guaratiba, mas a chuva caiu e o lugar virou um lamaçal. Agora aquele dinheiro que com certeza em sua maioria é público, foi jogado na lama literalmente, enquanto isso os jovens ficam à mercê da nova arrumação para cumprirem suas metas de estar com o Papa. Então, muda o local do evento para Copacabana e os fiéis que estavam alojados às margens do aterro que fazer com eles? Ah eles que se virem para atravessarem apenas 50km em busca do novo local do evento e quando terminar talvez passe uma van cujo motorista e cobradores poderão estuprar e roubar alguém para leva-los, ou quem sabe um ônibus, em último caso amanhecem o dia na calçada aguardando retorno aos seus alojamentos, por que o metrô tem limite para entrar.

Com tudo isso acontecendo o que me impressiona mesmo não é a incompetência dos cariocas, mas a dedicação de Francisco em estar sempre perto dos pobres, ops! Ele já está sendo chamado de “o Papa dos pobres”, isso é muito bom, pela primeira vez um Pontífice rejeita o luxo e procura os mais simples para interagir. As pessoas humildes se sentem mais importantes, afinal estar ao lado de um Papa é um sonho quase irrealizável, e quem tem esse privilégio leva consigo para o resto da vida. A casa daquela família que ele entrou na favela nunca mais será a mesma, ela será vista pela população como a casa que recebeu o Papa e seus proprietários os abençoados da rua. Francisco também chamou atenção para que a igreja receba a mães solteiras, pois elas também são filhas de Deus e estão querem se sentir integrada na sociedade. Isso é muito importante, é uma quebra de preconceito e o entendimento de que toda pessoa, independente de ser casada tem o mesmo valor para Deus, pois o mais importante são as ações e os sentimentos e não os documentos que se carregam pela vida.

E o povo, ah esse aproveita e se joga em busca das bênçãos e do possível milagre pelo toque das mãos do Papa. Nunca antes na história desse país, como diria Lula, se viu tantos bebês nas ruas para serem abençoados pelo santo padre. Mesmo com a chuva caindo os país estavam lá com os filhotes oferecendo-os para as bênçãos. Achei bem legal essa enxurrada de benção, tem tanta criança abençoada pelo Papa essa semana. Mas quando esse pequeno crescer, ou ficará muito orgulhoso por ter sido abençoado pelo Papa ou dirá para os pais, “que mico vocês me fizeram pagar”, tô falando isso porque jovem adora contrariar, mas também ama ter alguns “minutos” de liberdade para serem eles sem máscaras. Por exemplo essa viagem ao Rio de Janeiro, no primeiro plano é para participar da jornada, mas tem uma segunda intenção: conhecer o Rio de Janeiro, fazer, sua primeira viagem sozinho, se divertir a valer sem ter a quem prestar contas. Calma gente são apenas conjecturas, todo mundo vai lá rezar! Mesmo que tome um banho de mar, jogue uma bolinha na praia, vá ao shopping, coisas da vida né, afinal nem só de reza vive o homem e a mulher.

Ah para você que sempre achou que o Estado está bancando a estadia e a vinda do Papa ao Brasil, Sérgio Cabral e Eduardo Paes juram de pés juntos que não gastaram nada e a Igreja confirma. Dizem que o dinheiro gasto foi com a drenagem do rio que passa perto, do local do evento, rio caro. Bem eu acredito em Papai Noel e em cegonha, nesse caso acredito neles também. Mas como a discussão aqui é o Papa e o povo, espero que ele termine essa jornada deixando na consciência do povo que a religião fica mínima quando não se pratica a lei do amor. Que não basta dizer eu sou de Deus, é preciso mostrar na prática que é capaz de fazer o bem sem esperar retorno. Francisco é o cara, o Brasil ganha com sua visita em lições de amor e tomara que os políticos ouçam e peguem esses valores para si, e cuidem do povo brasileiro com mais respeito. Bem-vindo Francisco que teus exemplos sejam absorvidos pelo povo e pelos governantes. E que nós tenhamos com teus ensinamentos mais amor ao próximo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário