Proteja-se...

Proteja-se...
Tanto a Covid como a Dengue matam!

sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

Filarmônica 24 de Outubro participa de Tribuna Livre

A Sociedade Filarmônica 24 de Outubro, a convite da Vereadora Maria Helena Queiroz Cabral, participou de uma Tribuna Livre na Câmara Municipal, no dia 27 de novembro. Antes de iniciar os pronunciamentos do seu Presidente Nilson Borges e dos Vereadores, o grupo de jovens alunos da instituição fez uma linda apresentação do Hino de Valença.

Na oportunidade, a Vereadora Maria Helena ressaltou a Filarmônica como grande patrimônio histórico da cidade: “Trata-se de um bem imaterial que precisamos reconhecer como símbolo de valor e tirar da condição de mendicância, assim como outras instituições que prestam grandes serviços a nossa cidade. A Filarmônica faz parte da nossa história, da vida de cada valenciano”.

O Vereador Reginaldo Araújo, o qual também presidiu a instituição na gestão de 2001, dedicou algumas palavras de carinho: “Estou à disposição da Filarmônica para o que precisar. Quero organizar uma homenagem para a Velha Guarda, grandes responsáveis pela existência dessa instituição. Todos vocês tem sido importantes aliados no processo de minimização da violência, com a retirada de crianças e adolescentes do mundo da ociosidade e das drogas. Parabéns a cada um de vocês que fazem a Filarmônica”. 

A entidade foi fundada em 25 de março de 1932. O conjunto era formado por cerca de 20 músicos. Marcavam dia e horário para ensaiar em locais como o Jardim Novo (atual Praça da República) com instrumentos emprestados. Por volta do mês de agosto do ano de 2005, Nilson Borges foi convidado pelos colegas músicos para assumir o cargo de Presidente. Ele se candidatou e concorreu com mais uma pessoa indicada pelo Prefeito da época. Nesse periodo, o candidato Nilson, juntamente com os demais membros de sua chapa faziam campanha para reformar a sede da entidade, pois não tinha nenhuma condição de uso. No dia 30 de setembro foi entregue a sede totalmente reformada e equipada com cadeiras para a escola de música. Tudo doado por empresários valencianos. No dia 02 de outubro de 2005, ocorreu a eleição dentro das regras do estatuto da entidade e Nilson Borges foi eleito com mais de 70% dos votos. Adotou como primeira medida regularizar toda a documentação da entidade. Foram emitidos vários pedidos de ajuda para diversos orgãos públicos a fim de conseguir equipamentos e instrumentos. De imediato foi contratado o maestro Domingos, e aberta inscrição para novos músicos, nos três turnos, cada um com cerca de 20 alunos. 

Em 2006, o presidente Nilson, considerando o não cumprimento do pagamento do subsido por parte da Prefeitura Municipal, fez uma denúncia ao Ministerio Público. Após várias audiências, chegaram a um acordo. No dia 1º de novembro de 2006, aconteceu a formatura de 24 músicos, no clube AABB. A Filarmônica proporcionou diplomas para todos os músicos, evento onde familiares e convidados desfrutaram de momentos de alegria. A partir daquela data, iniciou-se um trabalho intenso nas cidades vizinhas, buscando novos contratos para apresentações. A Filarmônica tocou em cerca de 20 cidades, inclusive na capital (Shopping Barra). Em outubro de 2007, houve eleição e sem concorrentes, mais uma vez o senhor Nilson Borges foi empossado para o biênio 2007/2009. E os trabalhos não pararam. Mais uma reforma foi feita na entidade, com a mudança de toda a fachada, todavia preservando suas características. Foram adquiridos novo fardamento, instrumentos e equipamentos. As apresentações chegaram a 05 vezes por mês, sendo necessário formar dois grupos para atender em lugares diferentes. 

Em outubro de 2009, reeleito mais uma vez e com novas metas para 2009/2011, Nilson Borges registrou um número de cerca de 35 músicos e 30 alunos, sendo 10 do sexo feminino, com idades entre 08 e 81 anos. “Nossa Sociedade Filarmônica busca resgatar, fortalecer e impedir que desapareça uma das maiores tradições de nossa cidade: a única Banda Filarmônica”, ressaltou. Dentre as suas atuais metas está a criação de um espaço cultural, composto de um museu e salas de estudo, permitindo desta forma atender a um número maior de adolescentes que terão acesso ao aprendizado de instrumentos musicais, e um maior aperfeiçoamento do nível de música instrumental brasileira. “Objetivamos também, a criação de um Banco de Partituras, visando resgatar criações musicais desde o século XIX até os nossos dias, existentes no nosso acervo, identificando, registrando e catalogando as peças de importantes compositores do Baixo Sul da Bahia”, afirmou. 

“Temos componentes dos mais variados bairros da cidade. A instituição está de portas abertas para receber qualquer jovem que queira aprender música gratuitamente. Nós ainda fornecemos fardamento, instrumentos e gratificações quando acontecem apresentações. Temos direcionado músicos para a Polícia Militar, Exército, Marinha e Aeronáutica. Completamos 80 anos este ano resistindo a muitas dificuldades. A reforma da sede, por exemplo, tem sido feita 90% com recursos próprios. Inclusive, seria essencial se pudéssemos contar com o apoio dos empresários da cidade. O subsidio da Prefeitura não é repassado desde o mês de abril. Temos um convenio com o Peti, o qual tem proporcionado o dobro de vagas para os alunos do programa”, ressaltou Nilson. “A nossa satisfação é preservar a entidade e vê-la crescer. Temos muitos projetos, mas a nossa maior dificuldade é financeira. Temos capacidade para atender 200 alunos, mas ficamos limitados a 30 por falta de recursos. Existe toda uma estrutura para isso: compra e manutenção de instrumentos, material didático, pagamento do maestro, fardamento, entre outros gastos”. Nilson Borges aproveitou a oportunidade também para apresentar o cd da entidade, lançado este ano com recursos pessoais. 

Vereador Barreto parabenizou a instituição e confidenciou seu sonho de aprender a tocar: “Coloco-me a disposição de vocês, pois entendo que trata-se de um trabalho extremamente importante para nossa cidade. Existe um compromisso com o social! Muito sucesso para todos!”. Diana Farias ficou feliz em saber que os instrumentos do Peti estão sendo mantidos pela Filarmônica 24 de Outubro: “Apoio o ensino da música nas escolas. O esporte e a música não podem ser esporádicos. Precisam estar inseridos no contexto escolar. O nosso desejo é que mais jovens e adultos façam da música não apenas um prazer, mas que possam viver dessa arte. Valença apóia muito pouco vocês. Espero que essa realidade seja transformada. Parabéns!”. Jairo Baptista parabenizou o Presidente Nilson: “Sou testemunha do seu esforço e trabalho para manter esta Filarmônica viva, considerando tantas dificuldades enfrentadas. Parabéns a todos do grupo! Fico muito emocionado com o talento e simplicidade de vocês. Estou à disposição para atendê-los e colaborar com projetos que visem melhorar mais e mais esta instituição”. 

Maria Helena agradeceu a presença de todos e informou que já está em tramite o projeto que visa oficializar a documentação da sede da instituição: “Peço a colaboração de todos os colegas Vereadores nesse sentido. Estou Vereadora, mas sou cidadã e educadora, uma pessoa apaixonada pelo social. Logo, contem comigo sempre. O amor que vocês dedicam a Filarmônica é algo admirável e com certeza alcança resultados muito mais positivos. E é isso que nossa Valença precisa: pessoas cheias de amor, de vontade e comprometimento para fazer realmente as coisas acontecerem, visando alcançarmos uma sociedade de paz”. O Presidente da Casa, Bertolino de Jesus, finalizou reafirmando total apoio a instituição e garantindo que farão o possível para acelerar o processo de oficialização da documentação da sede da instituição. 
(Vanessa Andrade – Assessora de Imprensa da Câmara de Valença)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Respeita as Mina