Estúdio MC

domingo, 10 de abril de 2022

Atlético de Alagoinhas vence Jacuipense e é bicampeão baiano...

Atlético de Alagoinhas faturou o bi do Campeonato Baiano (Arisson Marinho/CORREIO)
O Atlético de Alagoinhas segue fazendo história no Campeonato Baiano. Um ano depois de conquistar o então título inédito, o Carcará se tornou o primeiro bicampeão (em anos seguidos) do interior no estadual. O feito veio com a vitória por 2x0 sobre o Jacuipense, neste domingo (10), em pleno Valfredão.

Os heróis do Carcará foram Thiaguinho e Paulinho. O atacante abriu o placar ainda no primeiro tempo. No segundo, o Leão do Sisal teve Newton expulso, mas tentou reagir. O sonho, porém, acabou aos 48, quando Paulinho pegou rebote de um pênalti defendido por Mota e garantiu o troféu.

O primeiro encontro, há uma semana, havia terminado em 1x1, no Carneirão. O Atlético, aliás, faturou o troféu de novo fora de casa. Em 2021, veio com vitória em plena Arena Cajueiro, em cima do Bahia de Feira, por 3x2, depois do empate em 2x2 na ida.

Com o título, a equipe comandada por Agnaldo Liz se torna o segundo time do interior a se tornar bicampeão. Mas o único em anos seguidos - isso pois o outro é o Fluminense de Feira, mas as taças vieram separadas por seis temporadas, em 1963 e 1969.

O Carcará também assegurou uma vaga na fase de grupos da Copa do Nordeste 2023, assim como a premiação de R$ 135 mil. Pelo vice, o Jacuipense ficou com R$ 100 mil. Os dois finalistas ainda se garantiram na Série D e na Copa do Brasil do próximo ano.

Vale lembrar que ambos disputam a quarta divisão em 2022, e já entram em campo pelo torneio no próximo domingo (17), às 16h. O Atlético de Alagoinhas visita o Asa, em Arapiraca (Alagoas), enquanto o Jacuipense recebe o Sergipe, no Valfredão. Bahia de Feira e Juazeirense também participam da competição.

Primeiro tempo
Campeão do Baianão de 2021, o Atlético de Alagoinhas não se intimidou com a casa do rival. O Carcará ocupou melhor o campo de ataque nos primeiros minutos e, mostrando entrosamento, criou boas chances.

Em uma delas, Miller avançou pela esquerda e tentou o passe, aos cinco minutos. A bola bateu na zaga do Jacuipense e ficou com Dionísio, que devolveu para o camisa 10 chutar por cima do gol. Mas nada valia: o árbitro assinalou o impedimento.

Se o gol do Atlético não saiu ali, veio pouco depois. Aos 14 minutos, Miller ficou com uma sobra na esquerda e mandou uma bomba, de longe. O chute acabou indo em cima de Mota, que defendeu para frente. Só que a bola foi em direção a Thiaguinho e, no rebote, o atacante completou para o fundo das redes: 1x0. O lance chegou a ser revisado pelo VAR, mas foi confirmado alguns minutos depois.

Depois que sofreu o gol, o Jacuipense melhorou, e tentou pressionar. Ficou bem perto do empate aos 20 minutos, quando Eudair acionou Robinho, que invadiu a área e cruzou rasteiro pelo meio, buscando Jeam. A redonda passou por Fábio Lima, mas não por Iran, que afastou.

No fim, o Leão do Sisal voltou a animar a torcida anfitriã. Primeiro, aos 42 minutos, quando Robinho se livrou de Paulinho e tocou para Evandro. Mas o passe foi com muita força, e a bola saiu pela linha de fundo.

Já nos acréscimos, mais duas boas oportunidades. Aos 50, Eudair ficou com uma sobra e completou de primeira, mas mandou com muita força, por cima do gol. A insistência continuou e, pouco depois, Railan saiu em velocidade, girou e enfiou a bola para Jeam. Mas Fábio Lima foi buscar a redonda nos pés do atacante, e impediu o empate.

Segundo tempo
Atrás no placar, o Jacuipense continuou a pressão no retorno do intervalo. Ainda no primeiro minuto, Robinho levantou na área, a bola passou por todo mundo e chegou até Ruan Levine. Livre da marcação, o atacante finalizou, mas bateu fraco demais e Fábio Lima defendeu.

O Carcará respondeu seis minutos depois, quando Dionísio limpou a marcação na entrada da área e chutou de longe, rasteiro, mas para fora. O segundo tempo continuou animado e, aos nove, o Leão do Sisal viu Radar, livre na esquerda, ser acionado por Robinho, ajeitar e cruzar para Flávio na segunda trave - mas, na dividida, a marcação tirou.

Assim como no jogo da ida, o Jacuipense ficou com um jogador a menos. Aos 19 minutos, Newton recebeu o segundo amarelo por uma dividida com Sobral, e acabou expulso.

Ainda assim, o Leão do Sisal seguiu lutando e buscando o empate. Ficou bem perto aos 31, quando Radar cobrou escanteio, a bola foi desviada e Kaefer ficou com a sobra. Ele finalizou, mas Miller tirou em cima da linha. Não parou por aí: quatro minutos depois, Emerson cobrou falta direto para o gol, e Fábio Lima voou no ângulo para defender.

Aos 48, porém, o bicampeonato do Atlético foi decretado. Tudo começou quando Emerson invadiu a área do Jacuipense, e foi derrubado após choque com Railan. O árbitro assinalou o pênalti, e Jerry foi para a cobrança. Mota defendeu, mas Paulinho ficou com a sobra e empurrou para o fundo do gol: 2x0 e título para o Carcará.
(Correio*)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Respeita as Mina