Respeita as Mina

Respeita as Mina

sexta-feira, 27 de junho de 2014

Paulo Souto recebe o apoio do PSC...

O PSC selou acordo ontem com o candidato do DEM ao governo, Paulo Souto, e passou a integrar a chapa majoritária com a oposição. O ato que oficializou a parceria aconteceu pela manhã, na sede da agremiação, em Salvador. Lá, durante discurso, Paulo Souto enalteceu a esperança de mudança apontada pela população e a importância da união entre as siglas.

“A nossa aliança se fundamenta na expectativa e na esperança de mudar a Bahia e o Brasil”, afirmou. O ato, além dos novos aliados do PSC, também contou com a presença do vice-presidente nacional do partido e candidato à Presidência da República, Pastor Everaldo, do presidente estadual do partido Eliel Santana e do prefeito ACM Neto (DEM).

Em seu discurso, Souto repeliu qualquer possibilidade de semelhança da coligação em torno de seu nome e de Geddel Vieira Lima (senador) com a formada pelo PT em 2010. “Eles incharam o estado. Criaram secretarias para atender interesses partidários”, disse. O presidenciável Pastor Everaldo, quarto colocado nas últimas pesquisas de intenção de votos divulgadas, condenou a lógica de governar do PT.

O socialista cristão disse confiar na chapa local para corrida no pleito que acontece em outubro deste ano. Vale ressaltar que o PSC também fazia parte da base do governo Dilma Rousseff (PT) e retirou o apoio para lançar Everaldo ao pleito. “Eles aparelham o estado, fazem fisiologismo e sugam as riquezas do povo brasileiro com uma das maiores cargas tributárias do mundo, dando em troca serviços públicos da pior qualidade”, disse o pastor.

Confirmados dois chapões
Os partidos de oposição em torno do nome do candidato a governador Paulo Souto (DEM) decidiram formar um chapão e uma chapinha para concorrer às eleições proporcionais no estado. A decisão vem após amplas discussões entre as agremiações, que decidiram apoiar as candidaturas oposicionistas e visa eleger o maior número possível de legisladores e assim formar uma ampla coalizão no futuro.

Segundo informações, no chapão dos partidos maiores, ficam DEM, PSDB, PMDB, PROS, PTN, PRB, Solidariedade e PSC. No dos pequenos, PPS, PV, PRP, PSDC, PTdoB, PTC e PHS. A previsão é que, com a medida, o chapão dos grandes partidos faça 17 deputados federais e 27 estaduais. A informação foi confirmada pelo presidente do PV, o prefeito de Licínio de Almeida, Alan Lacerda. Ele classifica a divisão como justa, pois auxilia o trabalho dos menores, por conta da desenvoltura política com musculatura do chapão, composto dos partidos maiores e com maior número de políticos com mandatos.

“Eu acho que será benéfico, pois poderemos ter uma boa desenvoltura eleitoral. A formação foi justa e, inclusive, beneficia também a majoritária. São dois níveis de desempenho eleitoral. Em tese, tudo só se define no final, mas os partidos menores podem disputar com mais força e sem o receio de serem engolidos pelas grandes legendas. A estimativa é que possamos fazer entre quatro a cinco estaduais e até mais de um federal”, ressaltou.

Um dos deputados dos partidos tidos como maiores que acompanhou as negociações foi o tucano Antonio Imbassahy (PSDB). O parlamentar, em conversa com aTribuna, disse que o acordo do chapão era uma tendência esperada pelos demais articuladores da chapa proporcional. “A tendência foi essa. A medida foi tomada por base de previsões e do fazer as contas dos votos. É uma alternativa que rende mais às agremiações. A situação não só beneficia o PSDB, mas o conjunto de legendas, pois permite uma performance com boa musculatura e boa para todos”.

A Tribuna, inclusive, já havia abordado o tema e adiantado a confirmação da construção de uma chapa desgarrada dos grandes partidos.
(Tribuna da Bahia)

Nenhum comentário:

Postar um comentário