Respeita as Mina

Respeita as Mina

sexta-feira, 6 de setembro de 2013

DE VOLTA ao COMEÇO: Político deixa cargo por vaga no Mais Médicos na Bahia

Ex-deputado Pedro Alcântara
Pedro Alcântara, que chefia o gabinete da Secretaria Estadual de Relações Institucionais da Bahia (Serin-BA), deixará o cargo no órgão pois ingressou no programa Mais Médicos, do Governo Federal.

O político, que é fundador do PL (atual PR) na Bahia, já apresentou-se à prefeitura de Juazeiro, no extremo norte do Estado.

Na cidade, ele irá atuar oficialmente em um bairro periférico. Apesar de estar no município, que fica a 512 quilômetros de Salvador, o político ainda não pediu exoneração da função, o que deve acontecer nesta segunda-feira, 9, quando ele se reunirá com o governador Jaques Wagner, no Centro Administrativo da Bahia (CAB), em Salvador.

"Conversei com o secretário Cezar Lisboa (titular da Serin) sobre meu desligamento. Na segunda, falarei com o governador e colocarei meu cargo à disposição", afirmou Alcântara, destacando que decidiu ingressar no programa logo na primeira etapa de inscrição.

"Sou médico e sempre atuei na área antes de entrar na vida política. Além disso, sou de uma família de médicos, incluindo alguns dos meus filhos", disse ele, que está em Juazeiro, cidade natal dele, para conhecer a equipe do posto onde irá atuar, no bairro Alagadiço.

Atendimentos
Na cidade, Alcântara, de 61 anos, abriu os trabalhos de reconhecimento, atendendo cerca de 100 pacientes em três dias. Com relação ao posto, que funciona em uma casa alugada, ela afirmou que a estrutura não é a ideal, mas que é possível atender os pacientes enquanto a nova unidade não fica pronta. "Temos uma boa equipe, com um enfermeiro, cinco agentes de saúde (precisamos de mais três), dentista e técnico de enfermagem", contou.

Formado na Universidade Federal da Bahia (Ufba), Alcântara é especializado em ginecologia, obstetrícia e mastologia. Ele chegou a exercer a profissão antes de abraçar a política em hospitais como o Aristides Maltez e a Sagrada Família, além da Maternidade Tsylla Balbino, em Salvador.

Remuneração
Com relação à crítica sobre o novo salário, que passará a ser de R$ 10 mil (antes, no Serin, era de R$ 5.779,03), Alcântara afirma que "a nova remuneração é pouca para um médico". "Meu salário no governo acabava sendo maior, porque além da remuneração base, tinha ainda a verba de gabinete. Somando as duas, ganhava mais de R$ 10,700", falou ele, que, além de atender no posto, pensa em abrir um consultório particular na cidade. "Tenho esta expectativa, mas vamos avaliar", salienta.

Vida Política
Fundador do PL (hoje PR) no Estado, o político foi vereador em Juazeiro, em 1982, e por seis vezes se elegeu como deputado estadual (o primeiro mandato foi em 86). Na última eleição, em 2010, o ex-deputado tentou o sétimo mandato na Assembleia Legislativa da Bahia, mas não foi reeleito.

"Não consegui porque apoiei Jaques Wagner para o governo estadual e o meu partido resolveu apoiar Geddel (Vieira Lima). Por conta disso, acabei ficando sem palanque para fazer campanha", salientou ele, acrescentando que, por conta do apoio a Wagner, foi convidado em 2011 para assumir a chefia do gabinete.

Apesar de integrar o Mais Médicos, o ex-deputado não descarta voltar à vida política, principalmente em 2014. "Quero me dedicar ao programa, mas, caso haja a oportunidade, posso voltar à cena política. Só farei isso, no entanto, se puder me candidatar como deputado federal", disse ele. Enquanto não volta a disputar uma vaga política, Alcântara afirma que deixa a função para o filho, que é vereador e presidente da Câmara de Juazeiro.
(A Tarde)

Nenhum comentário:

Postar um comentário