Respeita as Mina

Respeita as Mina

sábado, 31 de agosto de 2013

Gestores Melhoram Infraestrutura das Escolas de Cairu com Verbas do PDDE

PDDE melhora as infraestruturas física e pedagógica das escolas
Vinte e cinco escolas e quase cinco mil estudantes de Cairu vivenciam uma nova realidade com a chegada dos materiais e novos equipamentos adquiridos com os recursos do Programa Dinheiro Direto na Escola (PDDE), depositados nas caixas escolares municipais pelo Governo Federal, que este ano totalizaram mais de 127 mil reais.

O PDDE assiste financeiramente às escolas públicas da educação básica (infantil, fundamental e médio) com o objetivo de melhorar as infraestruturas física e pedagógica das Unidades Escolares.

Em Cairu, o princípio da autogestão escolar falou mais alto, pois a secretária da Educação Líliam Vieira da Silva, seguindo sugestão do prefeito Fernando Brito, ampliou a autonomia dos gestores das instituições de ensino, que juntos com professores, pais e alunos definiram como gastar o dinheiro, aumentando também a responsabilidade de todos.

O diretor do sistema de ensino da comunidade quilombola de Torrinhas, Jorge Santos, por exemplo, disse à reportagem que as prioridades da aplicação dos recursos do PDDE foram definidas com a comunidade escolar, atendendo o maior número de estudantes possível, tendo como principal objetivo a otimização da aprendizagem. “Não basta apenas ouvir os professores, mas também funcionários, pais e os alunos. À medida que realizamos os encontros para tratar de questões pedagógicas, administrativas e financeiras, todos opinam sobre como aplicar os recursos, aumentando a transparência da nossa gestão", disse o diretor.

Os recursos são transferidos para as escolas independentemente da celebração de convênio ou instrumento congênere, entretanto, para que permaneçam no programa, precisam prestar contas ao Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE). Fazendo isso dentro do prazo, o repasse do ano seguinte chega mais cedo. O valor recebido varia de acordo com o número de estudantes que consta no Censo Escolar do ano anterior.

Os recursos que chegam são divididos em custeio e capital. “Custeio” é para manutenção, como pintura e pequenos consertos. Já “Capital” é tudo aquilo que se torna patrimônio. Se a escola comprar um freezer, uma geladeira, computador, impressora ou um armário, é “Capital”. Mas, se comprar materiais como papéis, tinta, livros, jogos pedagógicos e até mesmo realizar pequenos reparos, é “Custeio”.

É com base nesses tipos de ações democráticas que a Secretaria da Educação de Cairu (Seduc) busca acelerar o aumento da qualidade da rede municipal de ensino em todos os sentidos, assegurando aos cairuenses a formação necessária para o exercício da cidadania.

Nenhum comentário:

Postar um comentário