+ DE 20 obras

quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

Terceira montadora consolida o polo automotivo instalado em Camaçari

Em 2001, a inauguração do Projeto Amazon, da Ford, em Camaçari, deu a largada ao Polo Automotivo baiano. De lá para cá, o projeto da montadora americana cresceu, mas a segunda planta automotiva só foi confirmada 10 anos depois, quando a chinesa JAC Motors firmou o protocolo de intenções com o governo baiano, em novembro de 2011. O segundo passo foi decisivo. Nestes dois anos, o polo baiano ganhou nova vida.

Outra chinesa, a Foton, já confirmou e está próxima de oficializar uma unidade de vans e miniônibus na Bahia e o governo do Estado negocia com a mesma empresa um projeto para caminhões.

Outras articulações já iniciadas podem efetivar também, em breve, a meta da Secretaria da Indústria, Comércio e Mineração de abrigar cinco empresas automotivas em Camaçari.

Foi o próprio governador Jaques Wagner quem tomou a iniciativa de conduzir as negociações. Ele foi a China, teve uma série de rodadas de negociações, conheceu as indústrias, avalou o potencial e voltou bastante otimista:

- Estamos bem encaminhados para termos nosso parque automotivo ampliado e com grandes investimentos - acenou Wagner.

No embalo do novo momento, a estratégia do governo baiano é ir mais além, incluindo no polo fabricantes de motos e máquinas de construção (tratores e similares).

“Temos que atacar por todos os lados, aproveitando as oportunidades, que são boas. O governo baiano teve a competência para manter os laços (necessários para atrair os negócios)”, avalia o coordenador do Grupo Executivo do Polo Automotivo, Reub Celestino. O grupo, criado para organizar todas as informações da área automotiva, integra a Secretaria da Indústria, Comércio e Mineração do Estado.

Mesmo sentimento do secretário Chefe da Casa Civil, Rui Costa, outro entusiasta com o projeto, para quem a posição estratégica da Bahia - como ponto intermediário entre o Sudeste e o Nordeste - o potencial de crescimento da região nordestina, a disponibilidade de área e a política clara de incentivos do governo baiano, via Pro Auto, são atrativos fundamentais para a empreitada baiana.

Com visão técnica, Reub Celestino avalia com otimismo as tratativas com a Foton, destacando a boa imagem do grupo que controla a Foton Motors do Brasil e a receptividade dos chineses na visita das autoridades baianas, a quem foi oferecido um almoço considerado bastante positivo. “Só se dá tanta atenção quando há interesse. Na vida privada é assim”, raciocina Reub Celestino.

Maior fabricante de caminhões do mundo, a Foton Motors firmou protocolo de intenções em setembro passado. A proposta prevê um investimento de US$ 300 milhões em uma fábrica a ser construída numa área de um milhão de metros quadrados em Camaçari, com produção começando já no final deste ano.

Em operação plena (30 mil unidades, prevista para 2017, serão gerados pelo menos mil empregos diretos e 6 mil empregos indiretos, avalia o governador Jaques Wagner.

Negócio da China
“Estive na China em 2010, recebi os empresários no escritório da Bahia, único estado com um posto na Apex (Agência Brasileira de Promoção da Exportação e Investimentos), em Beijing. Agora, fui a Singapura, apresentar as oportunidades do metrô de Salvador. O mundo conhece o Brasil via Rio e São Paulo. Se eu não for lá fora apresentar a Bahia, ninguém virá nos procurar”, relatou o governador Jaques Wagner sobre a atração deste empreendimento.

No campo da economia baiana, o Secretário da Indústria, Comércio e Mineração, James Correa estima que o setor automotivo responda por 12% do PIB baiano a partir da entrada em operação da JAC Motors.
“Será um passo importante para a economia baiana. Não só da região metropolitana e de Camaçari - diz ele.

Para o governador Jaques Wagner, a missão agora é trabalhar pela consolidação da cadeia automotiva, ampliando os negócios atraídos aos ramos de autopeças, equipamentos, instrumentos e acessórios. Wagner frisou que a Bahia produz 40% dos pneus do mercado nacional, fruto das fábricas da Pirelli de Feira de Santana e da Bridgestone e da Continental, em Camaçari.

Novos passos estão sendo dados. Em maio de 2012, quando os carros da JAC passaram a ser importados pelo porto de Salvador, a empresa anunciou a implantação na Bahia do centro de distribuição de peças da companhia.

JAC confirma a produção de caminhões
Confirmada em novembro de 2012, o projeto da JAC Motors na Bahia já pode ser cobsiderado uma realidade. A fábrica está sendo instalada em Camaçari. O investimento é de R$ 900 milhões, com capacidade prevista para 100 mil veículos ano. Embora a pedra fundamental tenha sido lançada em novembro, os serviços de terraplanagem começaram antes.

A produção dos primeiros carros baianos - versões hatch e sedã do J3 projetadas para o mercado brasileiro - está confirmada para 2014.

E não serão apenas veículos de passeio. No começo do mês, a JAC Motors do Brasil confirmou a produção dos caminhões T140, que transporta de 1,5 a 3,5 toneladas. Com isso, o aporte será acrescido de R$ 100 milhões, necessário para a fabricação de mais 10 mil veículos ano. A atração do projeto exigiu dois anos de negociações.

No lançamento da pedra fundamental, que contou com a presença do ministro do Desenvolvimento, Fernando Pimentel, o governador Jaques Wagner frisou que o projeto assegura a geração de 3,5 mil empregos diretos e 10 mil indiretos. “A JAC Motors se torna, também, um fator de atração de novos investimentos”, antevia o governador.

Otimismo compartilhado tmbém pelos dirigentes da indústria chinesa: “A Bahia também oferece mão de obra especializada de qualidade, além de localização estraté-gica para importação e expor- tação”, completou An Jin, presidente da matriz da JAC. Na ocasião, Pimentel comentou que dirigentes chineses confirmaram um empreendimento praticamente certo na Bahia (Foton).

Ford
A pioneira Ford também não para de se expandir. Com uma operação atual de 250 mil veículos ano, a planta baiana está passando para 300 mil unidades. “Estamos também iniciando a construção de uma fábrica de motores na Bahia, a primeira no Nordeste brasileiro”, afirmou o presidente da Ford no Brasil e no Mercosul, Marcos de Oliveira, durante o lançamento do novo Ford Ecosport, em abril do ano passado em evento simultâneo ocorrido em Salvador e na capital chinesa Beijing.

“A Ford em Camaçari não é somente uma fábrica, mas um dos oito centros de desenvolvimento da empresa no mundo, com mais de mil engenheiros e, para mim, é motivo de orgulho ver a Ford acreditando na inteligência baiana”, complementou o governador Jaques Wagner.

A unidade de motores foi lançada em dezembro de 2011, fruto de um investimento de R$ 400 milhões e previsão de produção de 210 mil motores por ano. De lá para cá, todas as metas têm sido cumpridas e algumas superadas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário