+ DE 20 obras

sexta-feira, 30 de março de 2012

Prefeitura de Cairu prossegue com ações de combate à dengue

Secretaria de Saúde continua com mutirões de limpeza e ações educativas mesmo com queda dos índices de infestação em 2011...

Equipe da secretaria da saúde de Cairu enfatiza o combate à dengue
A dengue é considerada um dos maiores problemas de saúde pública no mundo, especialmente nos países tropicais, cujas condições sócio-ambientais favorecem a proliferação do mosquito.

No Brasil não é diferente. A dengue vem atingindo a população em todos os Estados, independente da classe social.

De acordo com o SIS/FAD - Sistema de Informação em Saúde Febre Amarela e Dengue – o Município de Cairu tem mantido uma série histórica dos índices de infestação predial abaixo de 1% (número de imóveis com presença de larva do mosquito aedes aegypti) como é preconizado pelo Ministério da Saúde. No ano de 2008 o índice foi de (0,23%), em 2009 (0,34%), 2010 (0,38%) e em 2011( 0,20%).  
Para que esses índices continuem baixos, a Secretaria Municipal da Saúde, além de garantir agentes de endemias em todas as ilhas, vem promovendo uma série de ações por todas as localidades, tais como: mutirões de limpeza, atividades educativas com orientação de profissionais em escolas e associações de moradores, capacitação das equipes de agentes; distribuição de panfletos e ainda veiculação, no rádio, de mensagens educativas e de entrevistas com a coordenação da Vigilância Epidemiológica.

A Secretária Municipal da Saúde, Dra. Cíntia Rosemberg, lembra que, no entanto, para o combate eficaz da dengue é necessária a participação efetiva de toda a comunidade. “Todos podem e devem colaborar tomando medidas simples para evitar o acúmulo de água parada e também abrindo a porta de suas residências para a visitação dos agentes de endemias. A população pode, ainda, denunciar a existência de possíveis focos do mosquito em terrenos baldios e imóveis fechados, através do telefone (75) 3653-2027. Cada um de nós precisa fazer sua parte para combater o mosquito da dengue”, enfatizou Cíntia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário