+ DE 20 obras

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

CAMAMU - Prefeita visita comunidades no fim de semana

No Acaraí aconteceu a Festa da Padroeira e em Travessão o III Concurso Literário de Poesias


A prefeita de Camamu, Ioná Queiroz, cumpriu agenda de visita aos distritos no último final de semana. Junto à comunidade do Acaraí, ela participou dos festejos em homenagem a padroeira Nossa Senhora da Conceição. Missa, procissão e manifestações religiosas compuseram a programação, que também inclui a festa profana. Para Dona Davina, 93 anos, moradora do Acaraí, “a festa é um momento para fortalecermos nossa fé e esperança na justiça do Senhor e em Nossa Senhora da Conceição”. Já no distrito de Travessão, situado a cerca de 40 km da sede, a prefeita entregou o prêmio de ‘Melhor Poeta de 2011’, no III Concurso Literário de Poesias da Educação do Campo.

O evento motiva e envolve toda comunidade, levando pais e mães a participarem de um dos momentos mais importantes da vida escolar de seus filhos: construir uma poema e nele se explicitar. “Os investimentos na educação de Camamu estão trazendo resultados positivos. Encontramos nesse concurso pais, professores e alunos totalmente envolvidos com o projeto pedagógico e vimos a emoção no olhar deles”, disse a prefeita.


Vencedores de 2011:
1º Colocado: Edilane Santos Rocha
Poema: O lugar onde eu vivo
Escola Monteiro Lobato
Professora: Eliene Docílio

2º colocado: Mateus Sena Rocha
Poema: Coração atormentado
Escola Carlos Gomes
Professor: Hamilton

O LUGAR ONDE EU VIVO
Moro em um lugar
Cheio de simpatia
Agora que ficou bom
Tem estrada e energia

Antes era ruim
Ouço meu pai contar
Não existia escola
Era difícil para estudar

Hoje está claro
Como se fosse o sol e a lua
Além de escola na roça
Tem transporte para estudar na rua

Meu lugar era fechado
Achei uma saída
Com a escola se fez porta
Pra vencer os desafios da vida

Vivo em um lugar
Que se chama Varjão
Município de Camamu
Povoado de Travessão.
_____________________________

CORAÇÃO ATORMENTADO
Onde eu vivo é terra boa!
Ao mesmo tempo guerra,
Cada canto que eu ando,
Ouço o furor do motor-serra

Ao em vez de alegria,
No meu peito é um tormento,
Por saber que em cada canto
Houve um desmatamento

Eu sinto uma tristeza tão grande!
Que dá vontade de chorar
Por saber que um dia
Minha água vai acabar!
(Vanessa Dantas - ASCOM – PMCamamu)

Nenhum comentário:

Postar um comentário