Respeita as Mina

Respeita as Mina

segunda-feira, 24 de março de 2014

Gereba é 4ª localidade a receber o Planejamento Participativo do Governo de Valença‏...

Representantes de 08 associações de pequenos agricultores e comunidades da região do Gereba tiveram a oportunidade, nesta quarta-feira (19), de reivindicar melhorias para o bem estar dos moradores. Durante a realização da 4ª edição do Programa de Planejamento Participativo do Governo de Valença, que aconteceu na sede da Associação dos Médios e Pequenos Produtores Rurais de Valença - AMEPPRU , no Gereba, muitas foram as reivindicações. O importante programa, que tem em uma de suas vertentes o fortalecimento do associativismo já ouviu comunidades do Orobó, Jequiriçá, Entroncamento e Serra Grande. De iniciativa da Secretaria da Agricultura, contando com apoio de outras secretarias , a administração pública municipal leva até às comunidades uma estrutura capaz de ouvir e discutir as demandas e planejar as possíveis execuções.

Também no Gereaba, as cobranças não foram diferentes das outras localidades. Estradas e pontes estão entre os itens mais solicitados. Para Vera Lúcia, presidente da Central das Associações, a ação merece todo aplauso dos agricultores. “É uma ação inovadora em nosso município, que permite a aproximação da prefeita dentro das áreas que estão tendo problemas”, disse. A presidente da AMEPPRU, Maria do Carmo, observou que o município tem uma dívida muito grande com os agricultores. “Estamos esperançosos que desta vez os nossos problemas sejam olhados com mais atenção”.

Mesmo com todo esforço da Secretaria Municipa dos Transportes, inclusive colocando cinco frentes de trabalho, as chuvas estão atrapalhando o planejamento de recuperação de estradas rurais. “É inviável colocar patrol nas estradas quando chove, isto só faz piorar, pois vira lama e a gente perde o trabalho”, disse Hilarino Barreto (Lau) , secretário da pasta.

Em um breve pronunciamento, a prefeita Jucélia Nascimento falou da importância do programa, mas foi cautelosa. “Não podemos realizar tudo, mas vamos fazer o máximo. É muito bom ouvir vocês, pois estão fazendo a sua parte, cabe a nós atender”. Para Joailton de Jesus, vice-prefeito e secretário da Agricultura, as críticas estão sendo construtivas e tem ajudado na elaboração das ações prioritárias.

O vereador Adailton Francisco, que tem presença constante nos eventos, elogiou o programa e afirmou ser esta uma oportunidade para o fortalecimento do associativismo. O vereador reconheceu as dificuldades de execução de obras devido a burocracia. “Temos que entender que a demora às vezes não é da vontade da prefeita, existe muita burocracia, como a exigência de licitação, que contribui para o atraso das obras”, disse.

Um novo olhar para o campo
O diretor do setor de Agricultura, José Velloso, expôs as possibilidades que se apresentam para a transformação das associações. De acordo com ele, estas podem e devem se organizar para se autossustentar. Uma das alternativas apresentadas foi para que cada associação cultive, em pelo menos 01 hectare, algum tipo de produto. Como exemplo ele destacou a banana da terra, que segundo cálculos, renderia às associações cerca de R$ 3 mil por ano. Para os agricultores, uma das alternativas é a titularidade da terra. Como resposta Velloso aponta que o processo de medição que a titularidade requer tem custos viabilizados na proporção da quantidade de propriedades rurais envolvidas. Cabe aos proprietários se juntarem nesse sentido. A posse da terra representa para cada agricultor um trunfo capaz de servir de garantia para captação de crédito junto aos bancos.

Participou ainda do evento, o vereador Carlos Antônio (Ei).
(Ascom - Governo de Valença)

Nenhum comentário:

Postar um comentário