+ DE 20 obras

segunda-feira, 29 de abril de 2013

Prefeito de Cairu visita a CNM para receber orientações sobre o Plano Municipal de Resíduos Sólidos

Chefe de Gabinete Daniel Soares ao lado do Prefeito Fernando Brito
O prefeito de Cairu, Fernando Brito, esteve na manhã desta sexta-feira, 26 de abril, na sede da Confederação Nacional de Municípios (CNM), em Brasília. Além de conhecer o espaço físico da entidade e detalhes da filiação, Brito buscou orientações nas áreas de Educação e Previdência, com destaque para Meio Ambiente.

Um das dúvidas do gestor era em relação à elaboração do Plano Municipal dos Resíduos Sólidos. Cairu é o único município arquipélago do Brasil, por isso é um caso peculiar na gestão do lixo. “A ideia é fazer um pequeno aterro em cada ilha e formar uma associação de catadores”, explica Fernando Brito.

Cairu é o 3.º destino turístico mais visitado na Bahia, por isso, apesar de ter apenas 16 mil habitantes, recebe aproximadamente 200 mil turistas por ano. Assim, a questão dos resíduos sólidos preocupa. Brito foi eleito para o primeiro mandato e esta é uma das prioridades de governo.

A fim de orientar o passo a passo na elaboração do Plano, o prefeito recebeu exemplares de agosto e outubro do Boletim CNM. Neles há o caso de Ouroeste (SP), que com poucos recursos cumpriu a lei e serve como exemplo para outros Municípios. Além do Estado do Amazonas, onde a quase totalidade dos Municípios possui o Plano de Resíduos e de Saneamento.

Ao prefeito também foi entregue a coletânea Gestão Pública Municipal 2013/2016, elaborada pela CNM. Um dos volumes, o livro de Meio Ambiente, tem detalhes em relação aos objetivos do gestor.

Fernando Brito ficou admirado com as boas práticas e disse que vai procurar mais detalhes para implantar as ideias em Cairu. Acompanhado do chefe de gabinete Daniel Soares, o prefeito tirou dúvidas em relação ao Regime Próprio de Previdência Social (RPPS) e sobre o reajuste do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb).
(Agência CNM)

Nenhum comentário:

Postar um comentário