+ DE 20 obras

quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

SALVADOR - Feirantes de São Joaquim começam ocupar galpão de Água de Meninos

A mudança já começou e aos poucos o galpão de Água de Meninos ganha a cara da Feira de São Joaquim. As cores, sabores e cheiros vão ocupando o espaço provisório construído ao lado da Feira para abrigar 470 permissionários, enquanto a primeira etapa da reforma é executada.

O projeto vai ser realizado em três etapas e prevê melhorias na infraestrutura e construção de um píer nos fundos da feira, que tem vista para a Baía de Todos-os- Santos. Além de melhorar a circulação de pessoas, com mais espaço e higiene, a requalificação pretende tornar São Joaquim um dos principais pontos turísticos da Bahia.

A recuperação da feira envolve as Secretarias do Turismo (Setur), de Cultura (Secult), de Desenvolvimento Urbano (Sedur), por meio da Companhia de Desenvolvimento Urbano do Estado da Bahia (Conder), e da Indústria, Comércio e Mineração (Sicm), por meio da Empresa Baiana de Alimentos (Ebal).

O secretário do Turismo, Domingos Leonelli, afirma que ao fim da reforma a feira ampliará a capacidade para atrair soteropolitanos e turistas. “Quando ficar pronta a gente vai ter o Elevador Lacerda, o Farol da Barra, a Igreja do Bonfim e também a Feira de São Joaquim, um espaço que é o coração gastronômico da Bahia. Aqui desembarcam caminhões de todo interior com os mais diversos produtos. É uma ligação da capital com o estado, um ponto de encontro econômico e cultural.”

A requalificação vai ter investimento de R$ 32 milhões com recursos do Governo do Estado e do Ministério do Turismo. Novecentos antigos boxes serão demolidos e reconstruídos, 300 vão ser reformados e 139 receberão pequenos reparos. Haverá ainda uma mudança na disposição de feirantes que vendem no atacado, para facilitar a carga e descarga de mercadorias.

Visita oficial
Esperada há mais de 30 anos, a reforma é motivo de comemoração para os comerciantes. “Sei que vou passar por um momento de sacrifício, com essa mudança para um espaço diferente, mas todo o esforço vai ser pequeno diante da melhoria que vamos ter com a nova feira”, comemora José Adilson. Ele vende peças de cerâmica e acredita que com uma feira mais limpa e espaçosa, além dos tradicionais fregueses, vai vender para um número maior de turistas.

Nesta quarta-feira (11), o governador Jaques Wagner e os secretários estaduais de Comunicação Social, Robinson Almeida, e do Turismo, além de outras autoridades políticas visitaram a feira para acompanhar o andamento dos trabalhos. Relembrando o tempo em que morava no subúrbio e fazia compras na feira toda semana, Wagner parou em diversas barracas e comeu até um prato do tradicional mocotó.

“Cheguei aqui em 1974, trabalhava no Pólo e morava na Suburbana, toda a minha feira de domingo era feita aqui. Comprava as coisas colocava num saco de farinha, antes de ir embora, parava e comia um mocotó para recuperar as energias. Depois atravessava a rua e pegava o ônibus pra voltar pra casa”, disse Wagner.

O governador também comentou a importância da reforma. “Essa mudança aponta para uma recuperação definitiva da feira, que traz valorização. Isso aqui é uma tradição baiana, um local em que muito pai de família tira seu sustento e precisava passar por essas intervenções”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário